quarta-feira, 9 de novembro de 2011

ONG Terra dos Homens 15 anos de nacionalização.

Por Nice Abreu @Falemulher

A Casa de Festa Solar Palmeiras em Botafogo  recebeu nesta sexta feira dia 04 de novembro de 2011 muitos convidados no  Happy Hour para  comemorar os 15 anos  da  “Terra dos Homens”. Esta ONG trabalha em prol do fortalecimento de famílias diminuindo a  desagregação  de crianças e adolescentes evitando que elas vão para  ruas  ou fiquem em abrigos e etc... Tem como missão devolver às crianças seus direitos que foram violados, por uma família desestruturada. Inseri-las  ao leito familiar oferecendo uma vida mais digna é o  objetivo da “Terra dos Homens” que procura investir nessas famílias e nas comunidades carentes.
O “Fale Mulher” estava presente nesta festa e pode constatar através de entrevista feita com o presidente da Ong Fabio Andrade Carneiro e também de pessoas que foram  e são amparadas. Examinou a seriedade desta Ong e  como  este trabalho vem sendo reconhecido mundo a fora.
Entrevistado pelo Fale Mulher  o Presidente Fábio Andrade Carneiro   fala com muito entusiasmo e orgulho desta entidade chamada “Terra dos Homens”.

Fale mulher: Como nasceu o terra  dos homens?

Presidente Fabio: ".A terra dos homens nasceu  na suíça em 1982 recebeu este nome devido ao  livro chamado “Terra dos  homens” cujo autor é o mesmo do Pequeno Príncipe".

 A Cláudia que era recém-formada trabalhava nesta fundação  na Suíça , depois  vieram para o Brasil  onde  montaram  um escritório  com o mesmo nome vindo a ser   nacionalizada em 1996. A ONG tem uma receptividade muito grande ainda na Suíça como na Holanda, na França e recebe muita ajuda Também no Brasil. Por isso faz quinze anos de nacionalização brasileira. Quinze anos de Brasil onde  trabalhamos  predominantemente com famílias, adolescentes e crianças com situações de abandono, violação familiar  ou qualquer tipo de agressão. Nos últimos cinco anos nós ajudamos 13 mil famílias. Atualmente trabalhamos em Duque de Caxias preferivelmente na Mangueirinha onde é uma favela que tem uma área muito violenta. Nós Somos especialistas em capacitar pessoas para ajudar a ONG. Temos muitos profissionais capacitados à este tipo de trabalho para ajudar nestes campos onde são  professores. Esta é nossa terra dos homens onde eu sou o presidente há dois anos.
FM: Há um acompanhamento da ONG para essas famílias que foram  amparadas e  que deixaram  de levar uma vida violenta.? A ONG ajuda no crescimento emocional dessas pessoas?
PF:  Sem dúvida! Este é o ponto vital. Porque este é o resultado. Não basta que sejamos eficientes, ou seja, que saibamos trabalhar. Temos  que mostrar  o resultado , temos que dar resultados. Por que trabalhamos na mangueirinha em Duque de Caxias? Porque  lá é que encontramos mais de 40% de pessoas de ruas  do Rio de Janeiro  oriundas de Caxias. Por isso trabalhamos neste lugar. Nosso interesse é  que exista uma  família para cada criança. Acompanhamos sim como deve ser acompanhado. Aqui mesmo você pode ver este resultado. Nesta festa tem pessoas que foram resgatadas é só conversar com elas que verás como o trabalho tem resultados.

FM: Soube que o “Terra dos Homens” vai receber um prêmio internacional  Como é este prêmio ? Você pode falar um pouco dele?
PF:  Este prêmio é um troféu. A  Air  France é nossa parceira ela contribui para o nosso trabalho. Dentre o grande número de organizações do mundo nós fomos escolhidos entre as reorganizações de outros países para representar nosso trabalho e receber o prêmio.  “O terra  dos Homens” é reconhecido internacionalmente na Holanda, França e Suíça onde temos  relacionamentos, colaborações e parcerias.
FM: Quem são os parceiros?
PF: A própria Terra dos homens na suíça, na Bélgica, também temos uma fundação  Holandesa que nos ajuda muito. No Brasil temos várias parcerias integradas em ajudar as crianças e adolescentes vítimas da violência como a C&A que tem uma fundação excelente..
FM: Vocês possuem oficinas para ajudar as crianças a ter uma profissão?
PF:  Sem dúvida! Este é  um dos objetivos.  Assim como a escolarização, participar da escolarização delas, ensinar coisas que sejam uteis para retirá-las do convívio de pessoas violentas e reitegrá-las ao meio familiar. Este é o objetivo de todos da Terra dos Homens.
FM:  Você falou muito na Cláudia Quem é Claudia?
PF: Claudia é uma psicóloga formada no Brasil com curso no exterior  com altíssima competência que lidera o  “Terra dos Homens”. Ela é técnica, é especialista.  É sempre convidada das Nações Unidas, pela UNICEF e UNESCO, é conhecida internacionalmente, é  a nossa diretora executiva ela é   quem lidera os trabalhos que são realizados.
O Fale mulher entrevistou as pessoas que foram e estão sendo protegidas pela entidade.Uma delas, A Elizabete nos revelou histórias de superação e  diz com muito entusiasmo que só tem  a agradecer a “Terra dos homens por tê-la ajudado.
Fale Mulher:  O Fábio estava me falando que vocês são um resgate da “T erra do Homens”. Você pode me falar como foi isso na sua vida e como era antes de ser resgatada pela Ong?

Elizabete:  Minha vida era muito difícil e complicada. Eu era catadora de garrafas pety ,era minha sobrevivência, eu sustentava meus cinco filhos catando e vendendo essas petys .
A Ong me resgatou, conversou comigo, me deu trabalho e hoje meus filhos tem mais tempo para brincar e ir para a escola. Minha vida mudou muito. Hoje vivo para os meus filhos. Trabalho dentro da  Ong e fora dela. O meu filho mais velho tem 15 anos ele me ajudava a catar as garrafas e hoje ele não precisa mais. Ele só estuda.
FM: Você tem cinco filhos, eles hoje  têm assistência da ONG?
Bete: Sim! Eles têm toda assistência da ONG Meus filhos fazem parte da casinha, do grupo de capoeira, tem várias coisas para distrair as crianças. Hoje eu olho para os meus filhos com outros olhos, com mais carinho isso tudo foi através da “Terra dos Homens”.Quero o melhor para os meus filhos.
FM: O que você tem a  falar de positivo da ONG?
Bete: Falo muito bem. Ela me ajudou bastante, me levantou,colocou psicólogos para conversar comigo. Ajuda em tudo e agora eu faço parte do ciclo social da Ong.
FM: Com filhos em idade da adolescência O que você faz para que eles não entrem numa vida de rebeldia?
 Bete: Converso bastante com eles. Eu sou o espelho deles e não quero que eles passem o que eu passei. Quero que eles sejam muito felizes dou muito carinho para eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário