domingo, 28 de agosto de 2011

TENSÃO MENSTRUAL


Hoje resolvi escrever sobre um transtorno que incomoda e ao mesmo tempo assusta muitas mulheres. A famosa TPM ( Transtorno Pré Menstrual). Resolvi expor aqui  e dividir com vocês da revista mundo mulher, situações que nos incomodam como a agressividade que  incorpora nossa mente quando estamos neste período que antecede a menstruação e que é tão desgastante. A TPM é também chamada pelos médicos de Síndrome disfórica pré-menstrual atingindo aproximadamente 75% das mulheres mas que na verdade apenas 8% destas mulheres apresentam  sintomas muito intensos.

Já tive a audácia de ouvir de alguém que não vem ao caso dizer o nome, que essas agressões são apenas fricotes, frescuras e que tudo o que fazemos levamos como desculpa para a tal Tensão Pré Menstrual e outros absurdos como: Minha mãe nunca teve isso. Com certeza a coitadinha teve sim, só não sabia o nome. Mal sabe este individuo que o que nós mulheres sentimos neste período é assombroso.

Muitas mulheres passam por este transtorno pelo menos uma vez por mês. A chamada tpm espanta até mesmo nós mulheres pelo vários sintomas desconfortantes tão característico,   que não são nada agradáveis. Nós mulheres nos transformamos em outra pessoa, é como se nós mudássemos de identidade.  Será que estou exagerando? Espero estar sendo clara na transformação que passamos neste período tão ruim. Eu sempre digo  que nem eu mesma, me agüento.





São muitos os sintomas como: Insônia, Inchaços, Enxaquecas, Agressividade, Ansiedade, Falta de apetite ou o excesso dela, Depressão e uma vontade enorme de chorar, choramos por qualquer coisa, até mesmo assistindo novelas, as lágrimas escorrem sem mesmo a gente saber o porquê. Nos sentimos super deprimidas neste período que o melhor que temos a fazer é fugir de nós mesmas. Minha ginecologista sempre diz que o melhor remédio nestes dias é ficar sozinha. Deve ir passear e ver sempre coisas bonitas, fazer uma atividade física comer chocolate, se arrumar melhor ficar longe de pessoas que te irritam, visto que essas pessoas, podem  te levar a  ser agressiva sem mesmo perceber. Isso tudo são alguns métodos que podem aliviar essas tensões.



São muitas as causas desta doença, mas alguns diagnósticos suspeitam de que a interferências destes sintomas se refere  a influências hormonais no sistema nervoso central. Intervindo com os hormônios sexuais femininos, os neurotransmissores como a serotonina e as endorfinas. (Substâncias ligadas à sensação de prazer) por isso o desejo de comer chocolate. Segundo o Dr Sérgio dos Passos Ramos, essa síndrome acompanha a menstruação normal da mulher. Ressalta ainda que para ser considerada uma doença ela tem que interferir em todo o ciclo e não só na fase pré-menstrual fora isso é apenas uma tensão, a famosa TPM. Espero que isso ajude aliviar um pouquinho das nossas tensões.



domingo, 21 de agosto de 2011

Momento Poético com Florbela Espanca



Nosso Momento poético de hoje é dedicado a Poetisa Portuguesa Florbela Espanca natural de Vila Viçosa (Alentejo) vindo a falecer  com apenas 36 anos. A poesia de Florbela caracteriza-se pela recorrência dos temas do sofrimento, da solidão, do desencanto, aliados a uma imensa ternura e a um desejo de felicidade e plenitude que só poderão ser alcançados no absoluto, no infinito,  que são conflitos vivenciados na vida de muitas mulheres. A veemência passional da sua linguagem, marcadamente pessoal, centrada nas suas próprias frustrações e anseios, é de um sensualismo muitas vezes erótico. Muitos dos seus poemas falam de nossos sentimentos. Suas poesias são de uma identificação plena a alma feminina.Por isso merece toda esta homenagem.


A Mulher (Florbela Espanca)

Ó Mulher! Como és fraca e como és forte!
Como sabes ser doce e desgraçada!
Como sabes fingir quando em teu peito
A tua alma se estorce amargurada!
Quantas morrem saudosa duma imagem.
Adorada que amaram doidamente!
Quantas e quantas almas endoidecem
Enquanto a boca rir alegremente!
Quanta paixão e amor às vezes têm
Sem nunca o confessarem a ninguém
Doce alma de dor e sofrimento!
Paixão que faria a felicidade.
Dum rei; amor de sonho e de saudade,
Que se esvai e que foge num lamento!

Eu

 Até agora eu não me conhecia,
julgava que era Eu e eu não era
Aquela que em meus versos descrevera
Tão clara como a fonte e como o dia.

Mas que eu não era Eu não o sabia
mesmo que o soubesse, o não dissera...
Olhos fitos em rútila quimera
Andava atrás de mim... e não me via!

Andava a procurar-me - pobre louca!-
E achei o meu olhar no teu olhar,
E a minha boca sobre a tua boca!

E esta ânsia de viver, que nada acalma,
E a chama da tua alma a esbrasear
As apagadas cinzas da minha alma!


PERDIDAMENTE

"Eu quero amar,
Amar perdidamente!
Amar só por amar: aqui... Além...
Mais este e aquele, o outro e a toda gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!
Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender?
É mal? É bem?
Quem disse que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!
Há uma primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi para cantar.
E se um dia hei de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que eu saiba me perder...
Para me encontrar..."

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Roda de Chorinho a Beira Mar


Dia 7 de agosto domingo de  praia cheia e um por de sol maravilhoso que há muito tempo os cariocas não presenciavam. Estava passando pelo forte de Copacabana  quando uma turma de músicos formando uma roda, estavam sendo observados por um grande público.

Eu confesso que aquela roda de músicos tão organizados com seus instrumentos afinados aguçou minha curiosidade fazendo me parar e ouvi-los tocar. Foi ai que percebi que era uma roda de chorinho, Chorinho em pleno forte de Copacabana, em pleno mar de Copacabana, a princesinha do mar, suavidade no ar,  incrível não?


Parei e fiquei ouvindo com minhas amigas, elas que nunca tinham ouvido este tipo de música, ficaram  radiantes. Não consigo imaginar como ninguém tenha escutado uma música como essa, que sonoramente toca nossas emoções. Comecei a observar essas emoções no rosto da grande platéia que ouvia o grupo, era encantador!  Ouve até a interação de algumas pessoas que dançaram envoltos à roda sem se envergonhar do grande público ,  Foi ótimo.



 
Para os leigos no assunto o chorinho é uma roda onde vários músicos  que se encontram para fazer uma linda tarde de música ao ar livre. Músicas tiradas de vários tipos de instrumentos como: O Bandolim, o Cavaquinho, o Violão de 6 Cordas, o saxofone, o Sax-soprano e muitos outros que formam um conjunto musical bastante afinado.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Momento Poético com Mano Melo

     É com satisfação que dedico este meu cantinho a um grande poeta como Mano Melo

                     CEARÁ RÁDIO CLUBE
Era uma vez um cearense chamado João do Mar.
Nasceu na Síria,
Cuja capital era a cidade do Crato,
Uma terra de fartura,
Capital da rapadura
E campeã mundial do carrapato,
Onde o quibe nascia em árvores
E o trigo do pão se colhia antes mesmo de plantado.
Uma vidente com olhos de serpente
E ouro branco nos dentes
Olhou o rosto do menino
E vaticinou seu destino:
Tua vida está escrita nas linhas de tuas mãos
E não será por aqui.
Deixe o Vale do Cariri
E vá pra junto do mar.
Dizendo assim a vidente virou uma salada tabule
E desapareceu numa nuvem de alface.
E assim o menino sírio-cearense
Veio pra Fortaleza,
Quando o barato era passear
No Passeio Público,
Onde poetas impúberes ensaiavam os primeiros poemas.
O povo conversava política e contava anedotas,
De bobeira na Praça do Ferreira.
Aos domingos,
Se banhavam numa Praia de Iracema
Ainda sem poluição
E sem essa mixórdia beócia e imbecil de putas
E gringos.
Não haviam os bingos,
Não havia a Aldeota,
Nem a Beira Mar
Com seus horrorosos espigões.
O velho farol iluminava as dunas.
Fortaleza era uma província pacata
Embalada à brisa do Mucuripe.
Os arrabaldes inda eram pura mata
Onde luziam e vagavam
Luminosos vaga-lumes,
Insetos de luz própria.
Um dia,
João do Mar espiou pela fechadura
Da porta do tempo
E vislumbrou o futuro
Que se escondia por detrás do muro.
E este futuro tinha um nome: co-mu-ni-ca-ção.
E comunicação é que nem gripe:
Se espalha nas ondas do ar.
E João do Mar, o Visionário,
Fundou nesta urbe
A Ceará Rádio Clube,
E de João do Mar
Passou a ser conhecido como o João do Ar.
Se o Brasil tinha a Rádio Nacional,
O Ceará tinha a PRE 9,
Que o povo, com carinho, chamava de Perrenove,
Todas as emoções do mundo numa caixinha de sonhos:

"Faça sol ou quando chove,
Ouça sempre a Perrenove."
Roupa bem lavada só com Sabão Pavão.
Quer comida gostosa? Use Óleo Pajeú.
Alegria? Faça a barba todo dia com Gillete Azul.
Humor. Esportes. Notícias. Crônicas. Opinião.
Programas de calouros. Programas de auditório
Que não deviam nada aos de São Paulo e do Rio.
José Lima Verde apresenta: Hora da Saudade,
Coisas que o Tempo Levou.
Opinião é com Paulo Cabral
O cronista que só fala a verdade.
Nesta cidade noiva do sol,
Os homens escutavam o futebol
Na voz de Cabral de Araújo.
Cadeiras na calçada,
Falando da vida alheia
E o diabo a quatro,
As comadres discutiam o último capítulo do Rádio Teatro,
O Teatro verdadeiramente popular,
Avô das novelas da TV.
Locutores, cronistas, redatores, aprendizes,
Radiatrizes, radiatores,
Cantoras, cantores,
Astros e estrelas
Tirados do balaio:
Augusto Borges, Narcélio Lima Verde, Laura Peixoto,
Moacir Weyne, Teresinha Holanda, Laura e
Fátima Sampaio.
Senhoras e Senhores: com vocês,
Diretamente do Edifício Pajeú:
Keyla Vidigal, Salete Dias,
E o Rei do Ritmo: Nozinho Silva!
João Demétrio Dummar escrevia sua saga,
Grandes nomes do rádio cantando por estas plagas:
Orlando Silva, Silvio Caldas, Chico Viola, Zezé e Luiz Gonzaga,
Angela, Dalva , Marlene, Emilinha -talentos pioneiros!
Trio Nagô, Trio Irakitan, Jackson do Pandeiro!
O Ceará nunca mais foi o mesmo.
E o Tempo,
Que é uma bola vagando a esmo,
Foi tecendo seus mistérios.
João do Ar virou um mito.]
Encontrou Maria Lúcia,
Filha de Demócrito,
Que veio a ser a mãe de seus seis filhos.
E avó de seus vários netos.
Hoje Fortaleza é uma cidade moderna,
Entre o mar e o sertão.
Grande exportadora de tapioca

Para a terra carioca.
Shopping Centers a dar com o pau
Turistas a doer na vista,
Fashion Malls, roquenroll
Linhas aéreas da Gol
Ligando a lua com o sol.
Muita máfia, muito espigão,
Muita especulação.

Mas existe uma flama,
Um espírito ancestral,
Uma alma coletiva.
João Dummar, Demócrito,
Quintino, Raquel de Queiroz,
Jáder, Patativa.
Nossas raízes,
Nossos avós.
Uma força, uma beleza,
Que sempre permanecerá.
E viva Fortaleza,
Capital do Ceará

sábado, 13 de agosto de 2011

ÍTALO ROSSI DEIXOU SAUDADES.













Nesta última terça-feira 2 de agosto de 2011 morreu aos 80 anos o ator Ítalo Rossi. O corpo  foi enterrado na tarde de quarta-feira (3), no Cemitério Municipal São Francisco Xavier, no Caju, Zona Portuária do Rio.  Segundo os médicos, complicações respiratórias foram a causa da morte. A nossa cultura ficou menos rica com a morte deste monstro sagrado chamado Ítalo Rossi que ao longo de sua carreira foi chamado de o maior ator brasileiro.

Numa cidadezinha do interior de São Paulo chamada Butucatu nasceu Ítalo Balbo Di Fratti Coppola  mas precisamente  no dia 19 de Janeiro de 1931. Estreou seu primeiro trabalho  com a peça  a Casa de Chá do luar de Agosto (1956), recebendo da Associação Brasileira de Críticos Teatrais, ABCT o prêmio revelação de ator. Juntamente com atores ilustres como Fernando Torres, Sergio Britto e Fernanda Montenegro  fundou o Teatro dos Sete,  onde ficou atuando por  seis anos.
A vaidade deste ator ficou estagnada no teatro onde passou a maior parte da sua vida, atuou em várias peças e em 1963 estreou em novelas na estinta tv Rio, e participando também de muitas novelas como “Escrava Isaura”, “Belíssima”, “Que rei sou eu” e “senhora do destino”  na tv  globo. Foi uma pessoa que teve problemas com bebidas e que fumava dois maços de cigarros por dia  mas  isso nunca foi motivo para que desvencilhasse daquilo que mais gostava que era atuar. 
                                              

    














Concordo com hildegard Angel quando ela disse em seu blog,  que a biografia desde belo ator não pode se  resumir apenas no último trabalho em toma lá dá cá como o personagem “Seu Laudir” A biografia desta fera teatral deve ser bastante extensa pois assunto é que  não faltará. Um ator que foi digno de três  prêmios Molière, o mais importante das artes cênicas no Brasil, não pode e nem deve ser lembrado apenas pelo seu último personagem. As telas de cinema também tiveram o brilho de Ítalo em que participou de 20 longas-metragens, incluindo "Uma vida para dois" (1953), "O pão que o diabo amassou" (1957). "Aderrota" (1967), "Cara a cara" (1967), "Doida Demais" (1989) e o recente "Sexo com amor?" (2008). A trajetória nos palcos dos teatros e nas telas de tv, foi retratada no final de 2010 no livro "Fotobiografia de Ítalo Rossi".
Rossi  estava dirigindo a peça "C'est la vie", escrita por Marcelo Rubens Paiva. Segundo a parceria do ator, a peça é baseada em histórias reais do Disque Denúncia e nasceu de uma idéia do ator. "Ele imaginava levar ao palco uma coisa diferente, mostrando um universo atual e usando um autor jovem contemporâneo", A diretora Ester Jablonsky  conta  que  a produção fazia parte das comemorações dos 80 anos do ator e diretor. O assistente de Rossi no projeto, revela que planeja dar continuidade à produção mantendo fidelidade às idéias do ator veterano. A parceira de Rossi ressalta que a data de estréia da peça teatral será mantida, marcada para 15 de outubro, no Festival Internacional de Teatro de Angra, no Sul Fluminense. Em seguida, a atração deve entrar em cartaz na Casa da Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Com certeza será um sucesso de público em homenagem a este grande ator.

 Por: Nice Abreu @falemulher




quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Momento Poético com Marta Medeiros


PEDAÇOS DE MIM



Eu sou feito de

Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos

Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão














Sinto falta de

Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
Amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante

Tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas












Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir,para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.
Martha Medeiros

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Exercícios físicos na praça


Como é bom ver que as mulheres estão se dedicando a si mesmas. As mulheres passaram a se valorizar mais, se gostar mais e também se priorizar. As mulheres estão mais vaidosas, procuram de qualquer forma encontrar um meio de combater o estresse.  Tem as mulheres que procuram uma academia, uma aula de dança, artesanato,bate papo com os amigos, ir à qualquer coisa que tiram elas da vida rotineira que levam.

As praças da cidade do Rio de Janeiro viraram uma academia. São vários aparelhos de ginástica, musculação, alongamentos,  enfim, vários aparelhos que não perde em nada para as academias particulares. As praças além de ser um local de lazer virou também um lugar para se exercitar ao ar livre.
São muito os aparelhos nas cores verde e azul que andam embelezando a praça do Largo do Machado no Catete, na praça do Leme, na Tijuca e em muitas outras que fazem a alegria dos adeptos da boa saúde a procura de boa forma física. As pessoas não se importam com os olhares de curiosos que param e  observam os movimento que elas fazem em cima dos aparelhos.










São muito os aparelhos nas cores verde e azul que andam embelezando a praça do Largo do Machado no Catete, na praça do Leme na Tijuca e em muitas outras que fazem a alegria dos adeptos da boa saúde.  As pessoas não se importam com os olhares de curiosos que param e  observam os movimento que elas fazem em cima dos aparelhos.

As aparelhagens que enfeitam as praças são usados sem nenhum domínio, sem nenhuma orientação de profissionais para seguir um método  de controle para seu  desenvolvimento.



Os usuários não usam uma roupa adequada para a ginástica. Praticam os exercícios com roupas comuns,  seja de calça jeans, de vestido, sandálias, chinelos ou até de bolsas a tira colo.
Não importa o que essas pessoas vestem, o que calçam, o importante para elas é que estão aproveitando o tempo, estão se  exercitando. A mulheres estão se cuidando melhor.
O corpo agradece

Por Nice Abreu @falemulher


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A morte precoce de Amy Winehouse

 As drogas estão matando nossos ídolos
A sociedade precisa pedir socorro para impedir que mais  jovens se destrua, se entregue e acabe nas manchetes de todos os jornais chegando a ser sádico como  a morte da jovem cantora e  talentosa  Amy Winehouse que apesar de ser rica e famosa, com um futuro tão promissor, se matou no último sábado dia 23 de julho. Uma moça de linda voz com uma grande bagagem musical  aos 27 anos deu cabo da sua vida  por envolvimento com drogas.

Muitos jovens estão se entregando a qualquer entorpecente, como o álcool, o fumo,( haxixe, cigarro, maconha, craker), cocaína, Lsd e abundantemente outras drogas que muitos jovens estão se aventurando usar. A sociedade precisa se alertar contra este mal para que mais jovens não dêem cabo da sua existência. Os jovens estão se drogando aos poucos sem se dar conta das conseqüências que esta maldita traz na vida do ser humano. Muitos usuários de drogas morrem por overdose mas, fica no anonimato, até que vem uma Amy e revela as consequências que o uso de várias drogas pode fazer, entretanto ninguém ainda quer enxergar o tempo que estão perdendo com elas.
Eu realmente não sei o que está levando essa juventude a se entregar de corpo e alma a qualquer tipo de vício. Não sei se é para fugir de uma realidade, elevar sua autoestima- mas se esconder atrás das drogas será melhor? Vai ajudá-lo? Creio que não. A maioria dos artistas que poderiam vestir a camisa contra as drogas, transmitindo confiança para o não envolvimento do vicio, são os primeiros que acabam se entregando a elas. Mesmo no auge da fama, mesmo com toda a grana que nós cremos que os tem, com grandes possibilidades de tratamento nas melhores clinicas,  eles preferem a morte. São reveladores os números de famosos que fazem uso de qualquer tipo de drogas. A maioria  não conseguem perceber que é bem melhor viver sem se drogar, precisam de um apoio para encarar o tratamento contra esta devastadora que coloca aos seus pés muitos dependentes.

São tantos os ídolos com 27 anos como Janis Joplin, Kurt Cobain, Jim Morrison e Jimi Hendrix. que deixaram saudades através das suas músicas, agora, a cantora inglesa Amy Winehouse, seguiu o mesmo destino trágico desses artistas,  se envolvendo com as drogas acabando com a vida  encerrando assim, uma carreira brilhante. Janis Joplin  como a Amy  Winehouse,  passou pelo Brasil no ano de sua morte precoce. Amy sempre foi alvo das páginas dos jornais de vários países através dos escândalos rotineiros sobre drogas. Ultimamente ela não conseguia mais cantar suas músicas por esquecer as letras, era vaiada em pleno palco e seu aspecto físico era de uma pessoa completamente drogada. Quem sabe ela não estava procurando ajuda,mas ninguém entendeu. E agora, onde foi parar Amy  Winehouse?


Nice Abreu

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

FOTOS COM MEUS ÍDOLOS

Este cantinho será dedicado aos meus ídolos prediletos.

                                          FERNANDO MASSUR DA MPBFM


ENTREVISTANDO NILZE CARVALHO
ELISA LUCINDA

RECITAL DE POESIA NA CASA POEMA



















quarta-feira, 3 de agosto de 2011

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Momento Poético no Fale Mulher Com Elisa Lucinda

POESIAS DE ELISA LUCINDA
Libação (Elisa Lucinda)

É do nascedouro da vida a grandeza.
É da sua natureza a fartura
a ploriferação
os cromossomiais encontros,
os brotos os processos caules,
os processos sementes
os processos troncos,
os processos flores,
são suas mais finas dores
As conseqüências cachos,
as conseqüências leite,

todo presente é guarnecido
do estado potencial de futuro
as conseqüências folhas
as conseqüências frutos,
são suas cores mais belas

É da substância do átomo
ser partível produtivo ativo e gerador
Tudo é no seu âmago e início,
patrício da riqueza, solstício da realeza
É da vocação da vida a beleza                              
e a nós cabe não diminuí-la, não roê-la
com nossos minúsculos gestos ratos
nossos fatos apinhados de pequenezas,
cabe a nós enchê-la,
cheio que é o seu princípio
Todo vazio é grávido desse benevolente risco
Peço ao ano-novo
aos deuses do calendário
aos orixás das transformações:
nos livrem do infértil da ninharia
nos protejam da vaidade burra
da vaidade "minha" desumana sozinha
Nos livrem da ânsia voraz
daquilo que ao nos aumentar
nos amesquinha.
A vida não tem ensaio
mas tem novas chances
Viva a burilação eterna, a possibilidade:
o esmeril dos dissabores!
Abaixo o estéril arrependimento
a duração inútil dos rancores
Um brinde ao que está sempre nas nossas mãos:
a vida inédita pela frente
e a virgindade dos dias que virão!

SAFENA

Sabe o que é um coração amar ao máximo de seu sangue?
Bater até o auge de seu baticum?
Não, você não sabe de jeito nenhum. Agora chega.
Reforma no meu peito! Pedreiros, pintores, raspadores de mágoas
aproximem-se! Rolos, rolas, tinta, tijolo, comecem a obra!
Por favor, mestre de Horas...Tempo, meu fiel carpinteiro
comece você primeiro passando verniz nos móveis
e vamos tudo de novo do novo começo.
Iansã, Oxum, Afrodite, Vênus e Nossa Senhora apertem os cintos
Adeus ao sinto muito do meu jeito...Pitos ventres pernas
aticem as velas que lá vou de novo na solteirice
exposta ao mar da mulatice, à honra das novas uniões
Vassouras, rodos, águas, flanelas e cercas...Protejam as beiras
lustrem as superfícies, aspirem os tapetes... Vai começar o banquete de amar de novo.
Gatos, heróis, artistas, príncipes e foliões...Façam todos suas inscrições. Sim. Vestirei vermelho carmim escarlate
O homem que hoje me amar. Encontrará outro lá dentro.
Pois que o mate.

Amanhecimento

De tanta noite que dormi contigo no sono acordado dos amores de tudo que desembocamos em amanhecimento a aurora acabou por virar processo. Mesmo agora quando nossos poentes se acumulam quando nossos destinos se torturam no acaso ocaso das escolhas as ternas folhas roçam a dura parede. nossa sede se esconde atrás do tronco da árvore e geme muda de modo a só nós ouvirmos. Vai assim seguindo o desfile das tentativas de nãos o pio de todas as asneiras todas as besteiras se acumulam em vão ao pé da montanha Para um dia partirem em revoada. Ainda que nos anoiteça tem manhã nessa invernada Violões, canções, invenções de alvorada... Ninguém repara, nossa noite está acostumada.

Texto para uma Separação

Olhe aqui, olhos de azeviche
Vamos acertar as contas
porque é no dia de hoje
que cê vai embora daqui...
Mas antes, por obséquio:
Quer me devolver o equilíbrio?
Quer me dizer por que cê sumiu?
Quer me devolver o sono meu doril?
Quer se tocar e botar meu marcapasso pra consertar?
Quer me deixar na minha?
Quer tirar a mão de dentro da minha calcinha?
Olhe aqui, olhos de azeviche:
Quer parar de torcer pro meu fim
dentro do meu próprio estádio?
Quer parar de saxdoer no meu próprio rádio?
Vem cá, não vai sair assim...
Antes, quer ter a delicadeza de colar meu espelho?
Assim: agora fica de joelhos
e comece a cuspir todos os meus beijos.
Isso. Agora recolhe!
Engole a farta coreografia destas línguas
Varre com a língua esses anseios
Não haverá mais filho
pulsações e instintos animais.
Hoje eu me suicido ingerindo
sete caixas de anticoncepcionais.
Trata-se de um despejo
Dedetize essa chateação que a gente chamou de desejo.
Pronto: última revista
Leve também essa bobagem
que você chamou
de amor à primeira vista.
Olhos de azeviche, vem cá:
Apague esse gosto de pescoço da minha boca!
E leve esses presentes que você me deu:
essa cara de pau, essa textura de verniz.
Tire também esse sentimento de penetração
esse modo com que você me quis
esses ensaios de idas e voltas
essa esfregação
esse Bob Wilson erotizado
que a gente chamou de tesão.
Pronto. Olhos de azeviche, pode partir!
Estou calma. Quero ficar sozinha
eu co'a minha alma. Agora pode ir.
Gente! Cadê minha alma que estava aqui?


Poema Seringueiro
Gosto de ser do meu homem
de ser pertencente
de recebê-lo em mim
nos seringais da loucura
vem ele como se me abrisse estradas por dentro
ele com sua pistola de paz e inquietação
Amazônia distraída me deito
à doce devastação.

Por Nice Abreu @falemulher