sábado, 29 de outubro de 2011

Você é feliz no que faz ou faz pelo dinheiro que ganha?

Por NiceAbreu @fale mulher
Conversando com duas amigas descobri que ainda tem gente que visa muito o dinheiro e não o prazer naquilo que faz.. É  assim  que defini o nosso assunto, sobre estar bem com que está fazendo. Estar contente com sua profissão e o seu trabalho. Acredito muito que para sermos felizes na nossa profissão devemos fazer o que realmente gostamos de fazer, aquilo que mais nos identificamos. Estamos sempre entre subidas e descidas até descobrirmos o que realmente nos deixa feliz. O dinheiro é sim uma condição muito necessária que as vezes nos leva a seguir caminhos muitos longos mas que na realidade não fazemos por prazer.
Uma das amigas relatou que o dinheiro é o suficiente  para ser feliz na profissão. Claro que a discussão  duraria a noite toda se não houvesse a interrupção de outras pessoas. Mas o que estava sendo discutido levou-me a pensar que as pessoas não são tão mercenárias como aparentam ser. Assim espero, tenho esperanças,  ainda que me decepciono mais tarde.A outra companheira um pouco mais sensata, disse que não ficaria feliz fazendo o que não gosta já que passou anos da sua vida numa empresa em que foi muito  explorada e não conseguia se sentir feliz. Hoje ela faz o que gosta ganhado muito menos do que ganhava anos atrás, e seu trabalho é muito mais prazeroso. Disse que está fazendo o que gosta, que  seu trabalho atualmente a deixa realizada embora não tenha um salário justo.


 Eu com minha capacidade de raciocínio lógico, vejo as coisas como a segunda companheira. Não devemos visar somente o dinheiro. É claro que ele é muito necessário mas se juntarmos o útil ao agradável  nos tornaremos pessoas muito mais confiantes naquilo que estamos fazendo. Realizando com prazer uma formação que optamos por ela é com certeza uma grande felicidade, uma grande realização profissional.


O argumento da nossa primeira companheira foi que toda profissão é adaptável. Afirmou ainda que pelo dinheiro faria qualquer coisa. Argumentou que tem vários médicos sendo fiscais e outras coisas mais, Mas tentamos colocar na cabeça dela que é impossível um fiscal ser médico sem ter se preparado para isso. É impossível uma pessoa ser médico sem se identificar com essa profissão.O ser humano é sim muito adaptável, mas é  pelo dinheiro e por esses pensamentos absurdos que vemos atualmente muita gente morrendo nos hospitais por consequências de erros médicos. Tem muitas garotas bonitas sendo prostitutas apenas pela quantia que recebem pelos seus serviços. Muitos profissionais entrando em áreas alheias apenas pelo dinheiro, porque não encontraram empregos naquilo que lhes dão prazer.
Bom! a conversa entre nós três foi interrompida novamente  mas não terminada. Não quero de maneira alguma levantar polemicas, mas deixo aqui algumas perguntas  para quem lhe  interessar possa, responda ou continua com essas discussão que acho que interessa muita gente. Principalmente nós mulheres.
Um professor gosta de dar aula ou faz pelo dinheiro?
Um médico ganha bem?
É possível um dentista ser lixeiro ou vise versa sem ter sido preparado para tal profissão?
Um jornalista trabalha muito mas ganha muito?
São muitas outras que todos poderão deixar aqui como perguntas.
Um bjo no coração de todas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário